BALANÇA MENTAL – Corrija a sua!

Por Clarissa Godoy

Hoje te convido a refletir sobre a sua balança mental… Já ouviu falar sobre ela?

Todas as decisões que tomamos são baseadas na nossa balança mental. Todos nós temos uma e o que ela faz é: pesar as nossas ideias e as classificar como “IMPORTANTE” ou “NÃO IMPORTANTE”. A questão é que o que é importante hoje, talvez não fosse importante há 5 ou 10 anos atrás. 

A nossa balança está mudando constantemente. Então, dando um exemplo prático, pode ser que há 10 anos, para você, se alimentar bem e praticar atividade física fosse importante, e hoje em dia, pode ser que ver novela seja mais importante que ir à academia. E que ver novela seja mais importante que fazer um jantar saudável. O que acontece é que a nossa balança mental sofre interferência do que chamamos de “O vento das circunstâncias”. Nós copiamos modelos mentais de outras pessoas, mas o grande problema é que a maior parte das pessoas lá fora NÃO tem saúde, NÃO está satisfeita com o próprio peso, é sedentária, está INFELIZ, com DÍVIDAS e sem SUCESSO. E nós absorvemos as ideias das pessoas que convivemos! Precisamos estar sempre atentos para ver se o nosso modelo mental ATUAL está nos trazendo os resultados desejados, senão acabamos nos deixando levar pelas circunstâncias e perdemos o rumo da nossa própria vida!

Como corrigir sua balança mental? Procure pessoas que você admira na área que você quer progredir. Exemplo: se você quer ter saúde e estar dentro do peso, procure uma pessoa que tem saúde e esteja dentro do seu peso. Alguém que você admire. Observe o que ela está fazendo. Se para ela, é importante fazer atividade física 4 vezes por semana, para você TAMBÉM DEVERIA SER. Se para ela, é importante comer legumes e verduras todos os dias, para você TAMBÉM DEVERIA SER. Adquira o modelo mental das pessoas que tem mais resultados que você, pois o vento das circunstâncias (meio ambiente em que vivemos), só venta em uma direção: DO SUCESSO PARA O FRACASSO! E você NÃO PODE MUDAR O VENTO, mas pode MUDAR A POSIÇÃO DA SUA VELA e ESTAR EM UM LUGAR COMPLETAMENTE DIFERENTE DAQUI HÁ 5 OU 10 ANOS!

Não importa que as pessoas que te amam não te apoiem (ESSAS SÃO AS CIRCUNSTÂNCIAS). No meio do caminho você vai ouvir “Já não está bom de emagrecer? Você já está ficando abatida…” “Tadinha, não pode comer pizza..” “Ai, é só hoje! Não tem problema!”. Talvez você já tenha escutado algo do tipo ou talvez nunca tenha passado por isso, mas a realidade é que você não pode mudar as pessoas e as circunstâncias. O que você pode fazer é MUDAR ALGUNS GRAUS NO TIMÃO DO SEU BARCO E TRANSFORMAR A SUA VIDA!

Como está sua saúde? Como está sua disposição? Sua alimentação? E o seu peso?

Aproveite a chegada do calor para emagrecer!

Por Clarissa Godoy

Eu não sei você, mas eu moro no Rio e, mal começou o horário de verão, a sensação térmica já bateu os agradáveis 49 graus! Já fui fã do verão quando era adolescente. Hoje em dia, prefiro dias agradáveis de outono ou inverno!

Mas não importa se você gosta do verão ou não, na verdade, o que eu quero é te dar algumas dicas para aproveitar o calor a favor do seu emagrecimento!

Todos dizem “Ahhhh, Clarissa, mas fazer dieta no inverno é impossível! Eu sinto mais fome, menos vontade de comer salada e mais vontade de comidas quentinhas, como fondue, massa, chocolate quente, vinho…” rs. Isso escutei durante todo o inverno no consultório e agora estamos chegando no verão, e então eu espero ouvir “Nossa, tenho ficado sem fome, bebido muita água e tá tão quente que até esqueço de comer.” Mas isso seria nos sonhos, ou o discurso de uma minoria! Vão vir queixas como “Ahhh, mas no verão tenho que tomar um sorvetinho depois do almoço, um açaí depois do treino e aquela gelada nos finais de semana”.

Se pensar as duas épocas têm suas facilidades e dificuldades, mas tudo depende do seu olhar! Você pode apenas ver problemas em tudo e viver de pretextos ou pode enxergar soluções! E esta é a minha ideia aqui! Trazer dicas práticas que combinam com o verão e com o seu emagrecimento!

post-calor-1

1) Abuse dos chás gelados e refrescantes – chás são excelentes para hidratar e também para gerar uma maior saciedade, o que é super importante durante um processo de emagrecimento! Além disso, tem milhares de benefícios, como diminuição da retenção hídrica, controle da fome etc.

2) Invista em super saladas para almoço e jantar! Elas devem conter proteínas e Vegetais. As proteínas: frango desfiado, atum em óleo (escorrido), sardinha em lata em óleo (escorrida), carne desfiada, salmão grelhado desfiado em lascas ou ovo de galinha cozido e picado ou ovos de codorna pela metade ou cogumelos salteados. Vegetais em boa quantidade! Tomate, cebola, pimentão, pepino em cubos, beterraba, cenoura etc. Repolho e folhas mais firmes fatiadas bem finamente. Pode usar tomatinhos cereja cortados em fatias. Todos os tipos de folhas também!

post-calor-4

3) Prefira frutas cítricas e refrescantes como sobremesa – Que tal trocar o chocolate por uma laranja, tangerina, abacaxi ou quem sabe uma melancia ou melão?

4) Evite matar a sede com sucos! A sede se mata com água, ok? O consumo exagerado de sucos mesmo naturais e, principalmente, daqueles com alto teor de carboidratos atrapalha muito a perda de peso. Um copo de suco de laranja chega a ter 5 laranjas! Você comeria 5? Creio que não! Mas mesmo que comesse, demoraria algum tempo para chupar, então o açúcar da fruta seria absorvido aos poucos!

post-calor-5

5) Faça smoothies proteícos com frutas congeladas – são opções cremosas, refrescantes e excelentes opções como café-da-manhã ou lanches intermediários!

6) Evite ficar tomando açaí e sorvete – o açaí vendido no sudeste não tem nada a ver com o açaí do Norte! Sabia que o açaí não é nem um pouco doce? Tanto que lá, eles comem junto com a comida! Já o do sudeste é lotado de xarope de guaraná (que é lotado de açúcar, como se fosse uma calda) e muitas vezes ainda tem adição de leite em pó, leite condensado, granola (que na maior parte das vezes é aquela cheia de açúcar, flocos de milho e de arroz). Já o sorvete tem uma alta densidade energética e não é nada saudável, é lotado de gordura saturada e trans com grande adição de açúcar!

post-calor-6

Prefira o açaí puro batido com banana e um pouco de mel ou picolés de frutas – apesar de alguns terem açúcar, ainda são opções bem melhores!

7) Evite bebidas alcoólicas! Elas atrapalham bastante a dieta. Sempre que puder evitar, melhor! Seu processo será mais rápido! Não conseguindo evitar, prefira as destiladas, como vodka, saquê e cachaça. Não são menos calóricas, mas como são bebidas mais fortes, bebemos uma ou duas. Quando falamos de cerveja, é bem mais fácil perder a conta! Além disso, você pode pedir sua caipirinha/caipvodka/caipsaquê sem açúcar e adoçar com adoçante, o que minimiza bastante o problema! Ou prefira um vinho, mas tome com moderação, 1 ou no máximo duas taças! Os secos tem menor teor de carboidratos!

Quer emagrecer? Não deixe a indústria cozinhar por você!

Por Clarissa Godoy

Se eu pudesse te dar uma dica, apenas uma dica, seria: coma mais comida de verdade e menos industrializados.

Foto: Los Angeles, Kalifornien, USA, South Olive Street
Foto: Los Angeles, Kalifornien, USA, South Olive Street

As pessoas perdem horas lendo rótulos e tentando entender qual biscoito ou bolo industrializado é o melhor, mas sinceramente, tudo que vai conseguir é eleger os produtos menos piores! Você perde um tempo no mercado, chega à conclusão de que tudo é ruim e fica cada vez mais desanimada.

Não digo que não seja importante ler rótulos, claro que é! Mas não fique tentando entender todos os 10 conservantes e aromatizantes. Tem um monte de nome desconhecido? Não leve, não é um bom produto! Ao invés de gastar todas as suas energias se preocupando em ler rótulos, sugiro que se preocupe mais em diminuir seu consumo de industrializados e aumentar o consumo de alimentos chamados “comida de verdade”.

Os primeiros industrializados surgiram com o intuito de suprir as necessidades da população. Os itens industrializados eram básicos, assim como os processos. Mas este cenário começou a mudar na década de 1970. Começaram-se a produzir insumos alimentícios que não mais visavam a atender necessidades básicas de alimentação da população, mas antes ao prazer. Itens dispensáveis, mas extremamente palatáveis, que geravam a sensação de “bem estar” e “status”. Um grande marco foi a criação daquele refrigerante de cola que faz muito sucesso até os dias de hoje.

Hoje o que temos não são apenas produtos industrializados, temos alimentos altamente processados, que buscam agradar/viciar o nosso paladar e que cabem perfeitamente no nosso estilo de vida mais corrido!

As consequências dessa transição são as que vemos nos dias atuais. Pessoas cada vez mais obesas, mais viciadas em junk food e açúcar. Sempre cansadas, sem nenhuma vitalidade e profundamente doentes. Mas creio que já saiba de tudo isso. A ideia não é aprofundar tudo isto aqui e sim te uma dica prática de como se alimentar melhor!

Seguem algumas dicas:

Desembale menos e descasque mais!

Para isso, é importante avaliar a sua despensa. Qual a durabilidade média dos produtos da sua casa? Sua cozinha tem mais industrializados ou alimentos frescos e perecíveis? Você faz mais compras no mercado ou em feiras e hortifrutis?

Praticidade e saúde combinam!

Praticidade é tudo de bom, eu concordo. E não, não sou uma pessoa radical, mas podemos ter uma alimentação mais saudável e prática. Sim, isso envolve preparar os próprios alimentos. No início vai dar trabalho, mas depois você pega o jeito! E quem disse que só precisa fazer pratos elaborados? Nada disso! Não complique. Vá para o básico e rápido. Sabe o famoso PF brasileiro? Arroz, feijão, carne, legumes e salada? Aposte nisso e pare de comprar caldos industrializados, macarrão de pacote e sopa em pó!

Dê tempo ao tempo!

Se você acha que frutas, legumes e verduras não tem gosto ou são sem graça, pode estar TOTALMENTE viciado neste tipo de comida que citei acima. Mas tenho uma boa notícia! Demora um tempo, mas o seu paladar consegue depois de um tempo se adaptar ao sabor natural dos alimentos! É preciso repetição e consistência! Vamos falar de comida de verdade?

A comida de verdade é comida fresca! Comida que vende em feira e hortifrúti! Comida que não tem embalagem, não tem validade escrita e que estraga! O guia alimentar para a população brasileira traz muito essa questão de comer menos alimentos processados e mais alimentos in natura. Essa é a principal recomendação para uma vida mais saudável!

Faça esta transição e perceba as mudanças! Maior energia e vitalidade, maior concentração e foco, mais saúde e o emagrecimento será apenas consequência dos bons hábitos adquiridos! 

 

Bulletproof coffee: uma boa ideia para emagrecer?

Por Clarissa Godoy

DETOX (3)

O excesso de peso, muitas vezes, está associado a um excesso de carboidratos refinados – biscoitos, pãezinhos etc. Isso porque estes não contêm fibras, são absorvidos rapidamente e provocam pico de glicose (açúcar) no sangue. Este pico, por sua vez, faz com o que o corpo tente desesperadamente diminuir a glicemia produzindo insulina. Isso fará a glicose entrar nas células e ser armazenada na forma de gordura. Em resumo: olá, pneuzinhos!

Tão rápido quanto subiu, a glicemia despenca, como se fosse uma montanha-russa, gerando fome, fraqueza e indisposição. E o principal, fazendo com que você queira mais carboidratos!

Além disso, essa subida vertiginosa de glicose em nosso sangue faz com que sejam ativados mecanismos de vício no nosso cérebro! Já ouviu falar que açúcar vicia mais que cocaína? É verdade!

De alguns anos para cá, começaram a surgir muitas pessoas adeptas de uma dieta LCHF (Low Fat, High Carb), muito baixa em carboidratos e alta em gorduras. Essa dieta, se bem orientada e dependendo do caso, pode ser uma boa ideia, mas só nesses casos. O importante é que foi neste contexto de uma alimentação mais rica em gorduras que surgiu o bulletproof coffee.

Já ouviu falar? Bom, na verdade ele ficou popular no mundo inteiro. A tradução seria “café-à-prova-de-balas”, mas conhecido também como “café longo” ou “café gordo”.

Receita original são 2 xícaras de café + 2 colheres de sopa de manteiga + 1-2 colheres de sopa de óleo de coco batidos no mixer ou liquidificador.

Foi criado por Dave Asprey e as promessas são: perda de peso, saciedade prolongada, maior concentração e foco! A ideia é substituir a primeira refeição do dia por ele.

Vamos explorar mais a fundo?

1) Os ingredientes:

– O café é termogênico (aumenta o gasto energético, podendo favorecer a perda de peso). Além disso, tem compostos fenólicos que apresentam benefícios à saúde. Porém se consumido em altas doses pode acabar estressando o organismo e gerando, além de insônia, dificuldade de perda de peso.

– O óleo de coco é controverso como emagrecedor, mas tem benefícios impressionantes e é uma excelente fonte de gordura e, como todo gordura, confere saciedade.

– A manteiga é uma gordura saturada, assim como o óleo de coco, e eu considero uma opção excelente para cozinhar! Além de saciedade, ambos confere um sabor incrível à qualquer preparação.

2) Perguntas frequentes:

Isso significa que juntando os três em uma bebida teremos um café que dá bastante saciedade e pode favorecer o emagrecimento?

Sim! É para todo mundo? Não!

Teremos algo que pode ajudar no foco e concentração?

Talvez, mas não para todos. Um dos motivos seria porque o corpo absorve mais rapidamente este tipo de gordura, gastando menos energia para digerir os alimentos e deixando mais energia disponível para o cérebro!

A ciência prova que é uma boa opção?

Não, não existem evidências.

3) Por que não considero uma boa opção?

Não é porque algo é bom, que quanto mais melhor! A diferença entre o remédio e o veneno está na dose. Não é porque sabemos hoje que a gordura não é uma vilã e que ela pode ajudar no emagrecimento, que deva estar em doses cavalares e antinaturais na nossa dieta. Óleo de coco e manteiga são boas opções, mas para cozinhar, por exemplo, e não para comer de colher. Não existe nenhum estudo que prove que esta quantidade de gorduras é segura.

O seu corpo precisa de nutrientes para funcionar! Substituir uma refeição como café-da-manhã, que poderia conter uma alta densidade nutritiva (vindo de frutas, ovos, nozes…) por algo tão pobre nutricionalmente não é uma boa ideia, Você pode querer emagrecer, mas privar seu corpo de nutrientes importantes, definitivamente, não é o caminho! Precisa de algo que te dê saciedade? Experimente comer ovos, um pedaço de abacate ou outra fruta. Experimente fazer uma panqueca com farinha de coco e rechear com pasta de amendoim. São tantas opções que podem garantir não só saciedade prolongada, como vitaminas, minerais e fitoquímicos!

Pode levar ao aumento do colesterol e agravo de condições de saúde! Na prática do consultório chegam pessoas usando o bulletproof coffee sem nenhuma orientação. Quando eu pergunto o “por quê”, muitas vezes, elas nem sabem. Viram no Instagram! Algumas experimentam aumento de colesterol ou agravo de condições de saúde, como a esteatose hepática (acúmulo de gordura no fígado, algo bem frequente em pessoas obesas ou com sobrepeso). Às vezes, a pessoa não fez alteração alguma na dieta, apenas incluiu este café achando que fosse acontecer algum milagre! E tudo o que acontece é aumento de colesterol.

Então, é totalmente não recomendado? Não, pode ser até uma opção interessante, mas sob orientação e para indivíduos que pratiquem atividades de endurance, como a corrida. Dependendo de condições de saúde e de suas particularidades biológica! Não com essa quantidade de gordura toda, mas talvez com óleo de coco e em menor quantidade.

Ficou curiosa e quer experimentar? Experimenta! Quer incluir isso na sua rotina para perder peso? Eu não recomendo! Existem muitas outras formas mais saudáveis, nutritivas e seguras de fazê-lo!

#SemanaVerde: três dicas para ingressar no mundo dos orgânicos

Por Clarissa Godoy

Se você acompanhou os posts da Semana Verde aqui no Coletivo, já deve ter entendido a enorme importância de começar a fazer mudanças. Entendo que para muitos ainda parece algo de outro mundo, mas resolvi deixar algumas sugestões pontuais para ajudar vocês a ingressarem no mundo dos orgânicos.

Foto: Clarissa Godoy
Foto: Clarissa Godoy

– Procure por alimentos da safra, são mais em conta – Hoje em dia, não levamos em conta quais frutas, verduras e legumes estão na época, certo? Antigamente, nossos bisavós sabiam muito bem disso. Se procurassem morango em fevereiro, no auge do verão não encontrariam. Não era época de morango, ora bolas!

Hoje nem sabemos quais são as safras, pois os temos em qualquer época do ano. Isso parece ser ótimo, mas não é. Cada legume, verdura ou fruta tem seu cultivo favorecido em um determinado solo, ambiente e clima. E o homem com a brilhante mania de “melhorar a natureza” fez com que você pudesse encontrar morangos, por exemplo, em qualquer época do ano.

Ao custo de quê? Muitos agrotóxicos. Vale a pena? Não! Os orgânicos tem preços mais elevados, por diversos motivos, que vão desde a certificação do produtor (que pode custar cerca de 3 mil/ano) até a produção em menor escala, com maior custo.

Porém, alimentos orgânicos que estão na época têm preços mais acessíveis, pois naturalmente se desenvolvem com maior facilidade. Aposte nestes. Se não sabe quais são as safras, faça uma busca rápida na internet e descubra. Alimentos que estão na época, são mais baratos e muito mais nutritivos.

– Comece por partes – Eu sei que depois que descobrimos o quanto consumimos de agrotóxicos e o quanto estão associados a doenças, dá vontade de jogar tudo no lixo e mergulhar de cabeça nesse novo mundo. Mas sugiro que mude de forma gradual, para que a mudança seja definitiva e não apenas por um período. Comece frequentando mais feiras orgânicas. Compre alguns alimentos e experimente. Perceba a diferença no aroma, textura e sabor. É incrível! Comece substituindo os campeões de agrotóxicos, como pepino, pimentão, cenoura, laranja, morango, abacaxi e mamão por seus similares orgânicos.

– Abra sua mente para o novo – Saia da banana e maçã, tomate e alface que consome todos os dias. Experimente alimentos que estão na época. A natureza é extremamente rica!

Quanto mais a cultura do consumo de orgânicos crescer, maiores serão os benefícios para o planeta e seus recursos naturais, maiores serão os incentivos e pesquisas, maior será a acesso por parte da população, menor será o custo de produção e, consequentemente, teremos preços mais acessíveis. O planeta, os produtores e os consumidores GANHAM! Só quem não ganha é a indústria do agronegócio.

O que é ser caro? Caro é algo que não te dá resultados a longo prazo. Caro é gastar metade do salário com bolsas, sapatos e roupas. Caro é não investir em SAÚDE. Lembre-se que investir em orgânicos é investir na sua PRÓPRIA SAÚDE E LONGEVIDADE. É investir em um PLANETA mais sustentável e humano!

Espero que vocês tenham gostado da nossa #semanaverde. Estamos esperando suas dicas e comentários por aqui. 😉

#SemanaVerde: as 3 perguntas-chave sobre orgânicos

Por Clarissa Godoy

Vamos passar por três perguntas que costumam gerar muitas dúvidas quando falo sobre orgânicos:

Foto: Clarissa Godoy
Foto: Clarissa Godoy

1) O que são produtos orgânicos?

Parece algo óbvio, mas ainda tem gente com esta dúvida. Num mundo onde diet, light, sem glúten, sem lactose dominam, o conceito de “orgânico” é confundido com muita frequência. Por exemplo, um produto orgânico pode ser tanto de origem animal quanto vegetal.

O que seria isso? Os vegetais orgânicos são aqueles que, do plantio até a colheita, não recebem produtos químicos (agrotóxicos, pesticidas e adubos químicos) ou hormônios sintéticos que favoreçam seu crescimento. No caso dos animais, sua criação é feita sem o uso de hormônios de crescimento, anabolizantes e antibióticos.

2) Por que evitar produtos convencionais?

Já está mais que comprovada à associação dos agrotóxicos com aumento do risco de câncer, depressão, distúrbios alimentares, transtorno do pânico e anomalias físicas. A incidência de câncer em áreas de lavoura com cultivo tradicional é 38% maior do que naquelas em que não há lavouras desse tipo. Claro que o câncer é multifatorial, mas os agrotóxicos entram como um dos principais fatores de risco!

É assustador pensar que já se detectou agrotóxicos no leite materno! O primeiro alimento para o bebê. E mais assustador ainda é pensar que estes venenos não são eliminados pelo organismo, ficando retidos em nosso tecido adiposo (nossa gordura corporal). Você pode imaginar o efeito cumulativo dos agrotóxicos no corpo de um adulto que desde o aleitamento materno esteve armazenando esse tipo de substância? Imagine o efeito disso à longo prazo.

3) Por que não deixar de consumir legumes, verduras e frutas?

“Putz, Clarissa, mas orgânicos são difíceis de encontrar e, além disso, são caros demais! Melhor então diminuir o consumo de verduras, legumes e frutas e ficar mais nos industrializados, né?”

Se você pensa que evitando legumes, verduras e frutas estará mais protegido, está enganado. Por exemplo, o pão que comemos é feito com farinha de trigo, e este, por sua vez, é um vegetal que pode também receber agrotóxicos durante seu cultivo. Ou seja, consumir mais industrializados é uma péssima ideia, não só pelo fato de terem toneladas de agrotóxicos, mas por serem produtos com qualidade nutricional inferior.

A maior parte da população tem sua cozinha abastecida principalmente com produtos industrializados e, você pode ter certeza que o fato delas não consumirem verduras, legumes e frutas, mesmo com agrotóxicos, aumenta ainda mais o risco de doenças crônicas, como obesidade, pressão alta, diabetes e câncer.

“Nossa, então o que fazer? Parece não ter saída, certo?”

Calma, sem radicalismo! É importante ter esse conhecimento e agir por partes. Se você não consome verduras, legumes e frutas diariamente, mude isso o mais rápido possível! E se já tem este hábito, maravilha! Que tal dar um segundo passo e ingressar no mundo dos orgânicos?

No meu próximo post teremos dicas preciosas para ingressar neste mundo!

Deixe sua opinião e experiências aqui nos comentários. Use também a #semanaverde nas redes sociais para a gente acompanhar as suas ações para um mundo mais verde. 😉

#SemanaVerde: detox que intoxica?

Por Clarissa Godoy

Foto: Clarissa Godoy
Foto: Clarissa Godoy

Quem nunca exagerou no final de semana e pensou: “Caramba, essa semana vou fazer um suco verde pra dar uma desintoxicada!

Você faz aquele suco bem verdinho, digno de uma foto de instagram, com abacaxi, pepino, couve, limão e gengibre!

O efeito mental de um suco destes é poderoso! Suco “detox” como gostam de chamar! Você pensa: “Agora sim, foco!” Mas, se eu te falar que pode estar tomando um coquetel de agrotóxicos? Estaria mentindo? Infelizmente, não!

É triste pensar que o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, mas é verdade! Cada pessoa, chega a ingerir cerca de 5,9 kg de agrotóxicos POR ANO! Assustador, não é?

Isso acontece, pois a nossa legislação é permissiva. Existem agrotóxicos permitidos aqui que já foram proibidos há muito tempo em outros países! Por quê? Interesse! E não, não é pela saúde da população e acessibilidade! É o interesse financeiro e comercial! Em 10 anos a venda de agrotóxicos no Brasil cresceu 190%. Isso é mais que o dobro da média mundial. Dos 50 agrotóxicos mais usados no país, 15 são proibidos na Europa.

Sendo nutricionista, uma das orientações que mais repito aos pacientes é “consuma verduras e legumes todos os dias, pelo menos metade do prato. São eles que vão garantir sua ingestão de vitaminas, minerais e fibras!

A maior parte da população, no entanto, tem deficiência de vitaminas e minerais por baixo consumo destes tipos de alimentos. E ainda existe uma questão, mesmo os consumindo, é preciso pensar de onde vêm as vitaminas e minerais – como as que estão em uma folha de couve, por exemplo. Eu te digo: elas estão no solo!

Na agricultura tradicional, os solos ficam totalmente contaminados, pobres e inférteis. Solos assim não produzem legumes e verduras nutritivos, infelizmente! Já na agricultura orgânica, os produtores utilizam adubos naturais e o sistema utilizado é a policultura (diversos legumes, verduras e frutas na mesma área), isso faz com que o solo não esgote e fique mais rico! Além disso, quando recomendamos a ingestão dos mesmos, não estamos pensando apenas em vitaminas e minerais, mas também em fitoquímicos, que são compostos antioxidantes, que atuam na prevenção de doenças! As plantas os produzem para se defender de insetos e pragas, e como os orgânicos são muito mais vulneráveis, acabam produzindo estes compostos em quantidade muito superior!

Está pensando em parar de tomar suco verde? Calma! 😉 No meu próximo post exploraremos as 3 questões chaves sobre orgânicos x produtos convencionais: o que realmente são, porque deveríamos temer os produtos convencionais e porque não é uma boa ideia deixar de consumi-los de vez!

Bateu uma curiosidade? Acompanhe as novidades usando a hashtag #semanaverde nas nossas redes sociais. 😉