Bem-vindos à Era do Compartilhamento

Por Carla Caldas

Sábado acordei cedo e caminhei até o supermercado. O pão fresquinho de lá é imbatível, sempre crocante e quentinho. Também não resisto ao cheiro de pão de queijo e do bolo de cenoura recém-saídos do forno. Peguei outros itens típicos de um café da manhã caprichado de final de semana: mamão, frios, leite e água de coco. Coloquei tudo na sacola retornável, paguei a conta e voltei para arrumar as delícias na mesa.

Meu marido já estava na cozinha adiantando a organização, pois tínhamos hóspedes, um simpático casal, que mora nos USA e veio passar uma semana no Brasil, e queríamos demonstrar com carinho nossa hospitalidade.

Até aqui tudo bem, típica cena de uma família que recebe conhecidos em casa.

A única diferença estava na forma como chegaram ao nosso apartamento: através de um site de locação de cômodos em residências. Sim, estávamos alugando nosso quarto e obtendo uma “graninha extra”, usando a expressão do próprio site.

Ou seja, estamos vivenciando a nova era da Economia Compartilhada, que prega que tudo que você detém pode ser dividido com alguém que precisa e está disposto a pagar. O princípio básico é que aquilo que precisamos não é um CD e sim a música que toca nele, é um buraco na parede e não uma furadeira, e se aplica a praticamente qualquer item.

Ou seja, uma mudança de pensamento que valoriza o benefício que o bem oferece e não necessariamente a posse dele. Uma boa reflexão!

Hoje podemos encontrar sites onde é possível vender ou alugar qualquer coisa. De furadeira a helicóptero, nada precisa ficar parado e ocioso.

economia compartilhada 2

Assim, se temos um quarto vazio em nossa casa podemos simplesmente anunciar e disponibilizar. É o conceito de pensão ganhando nova roupagem com a ajuda da tecnologia, pois agora temos a possibilidade de oferecer o espaço para pessoas que estão em qualquer lugar do planeta.

Ficar em residências de famílias, passa a ser uma alternativa para nossas viagens. Pode ser mais econômico e também uma forma autêntica de vivenciar os costumes de uma cidade, estar próximo de moradores e conhecer ambientes mais acolhedores que hotéis.

Nosso primeiro contato com esse tipo de hospedagem foi em 2015 em Londres, através do mesmo site, em um apartamento onde morava um casal, ele engenheiro e ela dentista. Uma área tipicamente residencial, um pouco afastada da região mais turística, porém com fácil acesso ao transporte público: metrô, estações de bicicletas e ônibus.

O contato com o dono da casa começou bem antes da nossa chegada, pois trocamos mensagens com dicas sobre como sair do aeroporto, sugestões de passeios e até a escolha de um lanche que nos aguardou na geladeira.

Durante nossa estadia compartilhamos alguns  momentos com os proprietários, mas o mais legal foi vivenciar essa sensação de morador, caminhar pelas ruas residenciais, fazer compras no mercadinho da esquina. Na casa tínhamos acesso a um terraço pequeno para finalizar o dia sentido o clima de Londres e tomando um vinho.

Gostamos da experiência e na volta ao Brasil decidimos oferecer um quarto para aluguel.

Demoramos a iniciar, pois, marinheiros de primeira, na utilização do site, criamos o anúncio e não ativamos sua visualização. Ajustes feitos, começamos a receber nossos primeiros contatos para perguntas de esclarecimento. Depois, o pedido de reserva é efetuado e você, como anfitrião, aprova ou não a solicitação.

Aprovar? Baseado em que? Aqui entra mais uma novidade da Era do Compartilhamento: as avaliações.

Diferente de tempos passados, onde apenas quem prestava um serviço era analisado, aqui o contratante também tem sua qualificação exposta na rede. Portanto, é muito fácil conhecer o perfil e saber se ele foi uma pessoa legal, educada e organizada nas passagens anteriores.

Receber o primeiro pedido de reserva também é desafiador, afinal seu futuro hóspede ainda não terá uma depoimento disponível, no site, para leitura.

Ou seja, nunca nossa reputação e comportamento foram tão importantes, pois agora são divulgados nos sites.

Rompida essa barreira, recebemos nossos primeiros visitantes, duas amigas do interior de Minas Gerais que vieram a São Paulo por duas noites em busca do visto americano. E lá estávamos nós, nervosos para receber e agradar duas pessoas que sequer conhecíamos. Quem poderia imaginar? Quarto limpo e organizado, chocolates de boas vindas, duas páginas de dicas da região e orientações gerais sobre a casa escritas e impressas. As hóspedes eram alegres e comunicativas, a experiência foi ótima e ao final recebemos nossa primeira avaliação no site.

Os relatos positivos deixados por elas abriram caminho para próximos visitantes de diferentes origens e com os quais compartilhamos histórias em bate papos divertidos.

Muitos amigos questionam sobre como é receber desconhecidos em nossa própria casa, o quanto isso afeta a rotina ou se não temos receio e tememos pela segurança.

Confesso que no começo a ideia parecia estranha e inusitada, mas decidimos arriscar de coração aberto. O processo do site ajuda bastante a reduzir a sensação de insegurança e aos poucos fomos entendendo melhor o funcionamento e nos sentindo bem seguros. Hoje tudo passou a ser comum e abrimos nossa casa sem receio, porém com cautela na aceitação dos pedidos. E mais importante que a renda extra são as histórias e os momentos que vivenciamos com todos que passam aqui.

Com nosso último hóspede aprendemos um pouco sobre plantas medicinais e como ele administra um canal on line sobre o tema.

Ao sair deixou um bilhetinho carinhoso, que está indo para o nosso mural simbolizando as lembranças positivas de pessoas reais que passam em nossas vidas, mesmo que trazidas por formas impessoais como a internet:

“ Foi uma ótima experiência.

Obrigada pelo carinho e atenção com o qual me acolheram.

Sou muito grato por tê-los conhecido.

Grande Abraço.” –  Hóspede

Agenda: Abril começou com tudo

Abril já chegou chegando, cheio de eventos bacanas para você curtir esse comecinho de outono.

DIA DAS BOAS AÇÕES

Não é lindo quando o mês já abre com ações voltadas a ajudar o próximo? O Dia das Boas Ações é um movimento global e tem como objetivo despertar as pessoas para o engajamento em diversas causas sociais.

Presente em diversas cidades, o projeto reúne atividades coletivas como limpeza de praias, construção de praças, debates e rodas de conversas, além de espaços dedicados a educação, saúde mental e educação infantil.

Downloadables_logos__0005_Portuguese

Diversas capitais
Sábado e domingo – 1 e 2/4/2017

Para saber como participar, clique aqui e aqui.

BRASIL RESTAURANT WEEK

O festival é considerado um dos maiores  do mundo e acontece em mais de 15 cidades brasileiras.  Oferecendo o melhor da gastronomia a preços democráticos, a Brasil Restaurant Week cumpre também um importante papel social sugerindo aos clientes que contribuam com doações de R$ 1,00 (o valor é somado ao preço do menu vendido) para instituições beneficentes.

149023703558d3366b6c298_1490237035_3x2_md.jpg

Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo
Até 9/4/2017 (ES) e 16/4/2017 (RJ e SP)

Confira os restaurantes dessa edição.

SEMANA MAZZAROPI DE CIRCO E CINEMA

Em sua 24ª edição, a Semana contará com intensa programação de eventos e atividades culturais que homenageiam e reacendem a memória de Amácio Mazzaropi, ator e cineasta que imortalizou Jeca Tatu.

Amácio-Mazzaropi-1.jpg

São Paulo
2 a 9/4/2017

Onde: Armazém da Cidade (Rua Medeiros de Albuquerque, 270 – Pinheiros), Museu da Imigração (Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – Mooca) e no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc (Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista)

RIO MAPPING FESTIVAL

Considerado o maior festival de luzes da América Latina, o Rio Mapping Festival chega a sua terceira edição com diversas atividades gratuitas durante todo o mês de abril. Palestras, exposições, oficinas e festas vão agitar a cidade e oferecer ao público a oportunidade de conhecer a tecnologia artística mais moderna e mais usada nas grandes capitais pelo mundo.

Rio_Mapping_Festival_Gabinete_Real_1
Foto: Ana Carvalho
Rio de Janeiro
1 a 30/4/2017

Onde: Núcleo de Ativação Urbana. Avenida Professor Pereira Reis, 50, Santo Cristo. 
Hora: Terça a quinta, 14h às 20h; sexta e sábado, 17h às 02h; domingo, 10h às 16h.
Entrada gratuita

Boa diversão!!!!

Mulheres que inspiram: Vivienne Westwood e seu olhar sobre arte

Por Raphaella Perlingeiro

“Vocês exteriorizam o que interiorizam. Na busca pela arte, irão descobrir a genialidade da raça humana e começarão a entender o mundo em que vivem. Isso lhe dará propósito na vida.” (Vivienne Westwood no tema ‘arte’)

Em 2011, eu assisti um documentário que me fez refletir sobre nossa relação com arte. Ele se chama “A Londres de Vivienne Westwood” (está ainda disponível na GNT Now).

O que mais me impressionou foi o olhar da estilista britânica e o valor que ela deu a nossa experiência pessoal com a arte.

Rolou uma identificação forte ali! Explico.

Vivienne Westwood é a estilista que ficou conhecida como a rainha do punk. Em Londres, é considerada como verdadeiro patrimônio da cidade. Uma mulher única, com seus cabelos de fogo e pele pálida. Ela tem uma aguda consciência política, é engajada e autora em todas suas posições e atos (valorizamos).

Loja da estilista no Chelsea de Londres (a partir de Danielfootwear.com)
Loja da estilista no Chelsea de Londres
(a partir de Danielfootwear.com)

É justamente essa mulher incrível que irá nos conduzir pelas ruas de Londres. Mas ela avisa: será uma anfitriã diferente. O objetivo dela é “encorajar as pessoas a se tornarem amantes da arte” (pronto, apaixonei!). Ela diz:

Para ela, a arte é ferramenta poderosa para nos ajudar a entender o nosso mundo, pois nos humaniza.

Diferentes tipos de arte

Westwood estabelece uma diferença entre a cultura popular, adquirida passivamente em revistas e jornais, no cotidiano e uma cultura diferente (chame de erudita ou do que quiser), que exige uma atitude ativa. É aquela que demanda o famoso ócio, que pede que a gente pare, observe, pense e construa sentido para o que enxergamos, para a vida.

Foi o momento mais genial do programa, e é o que dá sentido a lista maravilhosa de lugares que ela escolhe para visitar.

Londres entra em cena

É assim que Londres aparece no documentário. Para Westwood o diferencial da sua cidade é a arte. É o seu patrimônio artístico que a torna uma das grandes capitais culturais do mundo.

Não é genial? Agora você pergunta: como ela faz isso?

Bom, simplesmente sendo ela. Essa valorização da arte e de uma cultura mais profunda está no cerne das suas reflexões, dos seus gostos. Então, nada mais natural que assunto apareça no documentário com leveza e verdade.

Sem grandes pretensões, ela pega sua bicicleta, como todos os dias, e nos leva para conhecer a sua cidade. Nós vamos a galerias surpreendentes; ao Barbican: orquestra sinfônica; ao The Globe: teatro de shakespeariano; mercados, bairros típicos. Uma seleção sofisticada, apresentada com profundidade e descontração.

A mensagem principal

Na minha opinião, a ideia que conduz o documentário de Westwood é estimular a exposição a cultura, a arte, em especial a erudita (tão maltrada nos nossos dias). “A arte nos humaniza”. Nós precisamos dela, diariamente, para dar profundidade e refinamento a nossa existência tão efêmera.

Para ter acesso ao documentário pelo youtube, clique aqui (dublado em espanhol).

Quem assistir depois conta o que achou!
Abraços ❤

6 Filmes para assistir no Halloween

Por Alline da Costa

Eu amo o Halloween, acho que porque não faz parte da nossa cultura então acaba tendo uma “aura” mais lúdica. Mas também por outros motivos, quando eu era criança queria ser bruxa para ter super poderes; eu conheci meu boy numa festa de Halloween e vamos combinar que uma data que reúna fantasias e doces não pode ser ruim né?!

Então, se você também gosta do Dia das Bruxas aqui vai uma listinha com algumas sugestões para o 31 de outubro.

Mas, se você não está nem aí para dia das bruxas mas gosta de filmes, dá uma olhadinha nas sugestões pois tem muito filme legal! 😉

Nota: alguns filmes são bem antigos, então não consegui encontrar alguns trailers com legendas em português, sorry!

1) Abracadabra

abracadabra_movie
Foto: Walt Disney Pictures – © 1993

Esse filme é para toda a família, era o meu preferido quando estava ali saindo da infância e entrando na adolescência.

Clássico filme de bruxas, tem gato preto, poções mágicas e vassouras voando. Ainda conta com Bette Midler e Sara Jessica Parker (antes de virar Carrie Bradshaw).

2) As Bruxas de Eastwick

Foto: Warner Bros
Foto: Warner Bros

Um filme com Jack Nicholson (que é um show aparte), Susan Sarandon, Michelle Pfeiffer e a Cher, dispensa apresentações né?!

3) Drácula de Bram Stoker

Foto: American Zoetrope - © 1992
Foto: American Zoetrope – © 1992

Existe um milhão de filmes com o título de Drácula, mas este é o de 1992 dirigido pelo Coppola.

Muitos colocam esse filme na categoria de filmes de terror, mas para mim não passa de uma grande história de amor, pois o Conde só se torna a criatura das trevas após a morte de sua amada.

Ok, você vai levar alguns sustos e sentir um medinho em alguns momentos, mas foca na história de amor que passa, é um filme (e livro!) que vale muito a pena.

4) Caça-Fantasmas (2016)

Foto: Columbia Pictures
Foto: Columbia Pictures

Confesso que torci o nariz e tive muito preconceito quando anunciaram um remake dos Caça Fantasmas. O original é um clássico, fez parte da infância de muitos adultos; e não se deve mexer nos clássicos, pois na maioria das vezes eles estragam os filmes tentando fazer um novo. Mas esse aqui me surpreendeu muito, eles não destruíram a história, eles criaram uma nova a partir do conceito original. O filme é muito divertido. E vou confessar outra coisa, sou muito medrosa e levei muitos sustos, mas dei muito mais risadas.

5) Entrevista com o Vampiro

entrevista_vampiro
Foto: Warner Bros.

Por que não tem como passar o dia das bruxas sem a companhia do Lestat!

6)  Mary Poppins

mary_poppins
Foto: © 1964 Walt Disney Productions

Esse é um dos filmes que eu mais amo no mundo, e não tem como não se apaixonar por essa Bruxa/Fada Madrinha que é a Mary Poppins. E como dizem:

“ninguém é velho de mais para assistir um filme da Disney”.

PS.: a lista deveria ter apenas 6 filmes, mas deixar “Os fantasmas se divertem” fora dessa lista foi uma tarefa muito árdua. Então estou fazendo uma pequena travessura, porque afinal de contas: “Gostosuras ou Travessuras?”

fantasmas_se_divertem
Foto: Warner Brothers

Cursos em lugares inspiradores – São Paulo

Por Carla Caldas

Foto: The School of Life
Foto: The School of Life

E a dica de hoje é: viajar com novas experiências de aprendizado (em endereços inspiradores)!

Selecionei seis cursos, em São Paulo, com conteúdos inspiradores e realizados em lugares cheios de charme. Uma pausa no dia-a-dia para interagir com pessoas novas e ampliar conhecimentos.

Veja nossa lista super tropical:

1 – Rooftop Yoga – para elevar o corpo e o espírito

A prática de yoga em alto de prédios, terraços e helipontos já é uma realidade em diversas cidades do mundo. Espaços abertos e vistas deslumbrantes são inspiração para elevar o espírito e vivenciar novas sensações. Momentos que inspiram um estilo de vida saudável e consciente na correria das grandes metrópoles.

A primeira edição do Rooftop Yoga Brasil acontecerá dia 01 de outubro de 2016, no Terraço do Shopping JK.

Uma manhã de atividades: técnicas de meditação e respiração, prática de posturas, música, brunch, massagens e bate-papo com nutricionista.

Yoga Escapes SP que aconteceu em um heliponto - são os mesmo idealizadores e tem conceito parecido. Encontros de experiências, yoga e bem-estar em lugares inusitados.
Yoga Escapes SP que aconteceu em um heliponto – são os mesmo idealizadores e tem conceito parecido. Encontros de experiências, yoga e bem-estar em lugares inusitados.

Onde: Terraço One, Shopping Iguatemi JK – Informações e reservas: My Yoga

2 – Photo Salon – O salão de beleza da fotografia

Um workshop sobre composição e tratamento de imagens, “curso boutique”: personalizado (12 alunos por turma) e intenso.

Os alunos aprendem como editar as imagens, tratar cor, luz e pele, montagens nos softwares Lightroom e Photoshop e como construir um moodboard de identidade visual da sua marca.

Criado pelo fotógrafo Flavio Teperman e pela designer gráfica Clara Paiva é uma vivência leve e divertida, “imersão” de um final de semana inteiro. Inclui refeições gostosas e saudáveis, mini-gifts divertidos e um retrato seu clicado pelo Flávio!

Tudo acontece na inspiradora Casa Goia, com sua arquitetura diferente e móveis de design.

Foto: Casa Goia
Foto: Casa Goia

Anote na agenda: a próxima edição será nos dias 17 e 18 de setembro.

Onde: Photo Salon – R. Cônego Eugênio Leite 218 (Casa Goia) – Pinheiros.

3 – Gastronomia acompanhada de vinho e limoncello

Imagina uma aula de gastronomia mão na massa, cada aluno na sua bancada (pia, fogão, utensílios e ingredientes), professor italiano e tudo isso regado a um bom vinho!

Você não está na Itália, mas o chef Giuseppe Gerundino faz você se sentir lá.

O melhor, não precisa saber cozinhar para participar das aulas que variam de workshops sobre temas específicos até cursos mais longos. O aluno aprende técnicas para manipular ingredientes e realizar receitas, com demonstrações teóricas e práticas. Ao final de cada aula, uma degustação dos pratos, acompanhados de vinho e do limoncello artesanal da casa.

O espaço é totalmente equipado e dedicado à arte de cozinhar e possui a Espaço Escola e Espaço Gourmet e também um delicioso terraço.

Foto: Accademia Gastronomica
Foto: Accademia

Onde: Accademia Gastronomica – Rua Inhambu 1126 – Moema

4 – Escola de Baristas, laboratório de sensações

Isabela Raposeiras, vencedora do primeiro Concurso Nacional de Barismo do Brasil, Mestre de Torra e Q Grader (certificação internacional de degustação de cafés especiais), idealizou o Coffee Lab: uma escola de baristas e uma cafeteria especial.

O aroma de café, logo na calçada, convida até os menos entendidos a viver a experiência do local. Ali é possível ver o café sendo moído na hora.

É impossível não querer participar de um dos cursos: técnicos para profissionais (baristas, profissional em degustação de cafés especiais, mestres de torra por perfil, técnicos de latte art e de formulação de drinks com café) ou apenas divertidos para os amantes que desejam reproduzir as técnicas que levam a uma excelente xícara de café.

Foto: Coffee Lab
Foto: Coffee Lab

OndeCoffee Lab – Rua Fradique Coutinho 1340 – Vila Madalena

5 Somelier e Educação Cervejeira

No Instituto da Cerveja, a 1ª escola de Sommelier de Cervejas do Brasil fundado em agosto de 2010, a loura saiu das mesas dos bares e foi para as mesas de estudo.

Lá é possível fazer diversos cursos: Sommelier de Cervejas, Introdução ao Universo de Cervejas Especiais, Especialização em Harmonização, Workshop Avançado de Lúpulo, Análise Sensorial e Off-Flavor, além de uma especialização exclusiva: Mestre em Estilos®.

Os sócios e os professores estão entre alguns dos maiores nomes do mercado cervejeiro atual. O assunto é coisa séria, e as aulas acontecem em uma casa de dois andares com uma ótima estrutura e claro, um bar temático para aquele brinde entre alunos.

Foto: Instituto da Cerveja
Foto: Instituto da Cerveja

Onde: Instituto da Cerveja – Avenida dos Carinas 417 – Moema

6 – A Escola da Vida para adultos – é possível viver melhor e ter uma vida mais plena

A The School of Life se dedica a desenvolver inteligência emocional através da cultura e boas ideias para o dia a dia, explorando temas como trabalho, amor, sociedade, família, cultura e, principalmente, o auto-conhecimento. De filosofia à literatura, psicologia à artes visuais – uma variedade de idéias vão estimular provocar, nutrir, alegrar e consolar.

Com metodologia própria, são aulas, cursos intensivos, oficinas e conversas de domingo. Toda a programação acontece na simpática Casa Neo10, um espaço super acolhedor.

Foto: The School of Life
Foto: The School of Life

OndeThe School of Life – Rua Medeiros de Albuquerque, 60 (Casa Neo 10) – Vila Madalena.

Foto destaque: The School of Life (São Paulo)

E ai gostou da nossa sugestão cheia de tempero?

Ex-libris: uma viagem apaixonante ao mundo dos livros

Por Raphaella Perlingeiro

Anne Fadiman. Ex-Libris: confissões de uma leitora comum. Rio de Janeiro: Jorge Zahar , 1998

Foto: Raphaella Perlingeiro
Foto: Raphaella Perlingeiro

Esse é um livro para quem sabe que viajar começa com histórias que nos seduzem. São 18 ensaios que falam de uma maneira leve, afetuosa e divertida sobre pequenas idiossincrasias que leitores têm com seus livros. É realmente uma declaração de amor ao objeto livro e a todas as coisas maravilhosas que dele suscitam. 

Você deve estar pensando agora: mas o que isso tem com viagens? Acertei? Eu sou apaixonada por todas as histórias do livro. No entanto, tem uma em especial, chamada “Você está Ali”, que todo viajante deveria ler e aplicar. Neste ensaio, a Anne (minha íntima. Imagina?) fala sobre ler livros que falam dos lugares que visitamos no momento em que fazemos isso. E eu garanto: é uma experiências única e inesquecível!

Vejam esse trecho:

“‘Minha jornada terminava no campo de Tresimeno’, escreveu ele (Macaulay) no diário, ‘e assim que o sol levantou-se li a descrição da cena, feita por Lívio’.

No momento em que li essa frase, soube que Macaulay e eu éramos farinha do mesmo saco. É verdade que eu jamais havia reformado o sistema educacional indiano, […] mas esses são detalhes insignificantes. Ele teria com certeza concordado que havia uma semelhança no que realmente contava: éramos devotos de coração do que chamo de leitura do Você Está Ali, a prática de ler livros nos lugares que eles descrevem.”

A citação foi grandinha, eu sei, mas como resistir? Acho que sou farinha do mesmo saco que a Anne. Adoro viajar levando alguma obra que tenha relações com o meu destino, e foi esse capítulo que me fez considerar este livro como interessante para qualquer espírito viajante. No meu caso, adotei completamente esta ideia. Cheguei até ao ponto de fazer uma caixa de poemas/lugares para dar de presente a um amigo que ia passar o aniversário em Paris – mas isso é outra história.

image
Foto: Raphaella Perlingeiro

O livro tem outros ensaios geniais. Eu descobri muito sobre o tipo de leitora que sou lendo-o. Você pode se descobrir também. Por exemplo, no “Nunca Faça Isso a um Livro”, ela fala sobre as diferenças entre o Leitor Carnal e o Leitor Cortês. Ali, conta sobre leitores que preservam o livro como um amante recatado e cortês em oposição aos leitores carnais, que rabiscam e anotam tudo em suas páginas.

É um tipo de ponderação ordinária, mas que faz parte do imaginário de todo leitor feliz, e que torna esse livro tão especial. Não quero contar tudo, apesar da vontade. Contudo, posso dizer: leia o Ex-Libris da Anne Fadiman. Devore-o!

É tão bom pegar um livro sem entraves, que faz a gente se apaixonar, se descobrir e viajar. Esse é meu desejo para você!

Leia e Viaje: um diário russo por John Steinbeck e Robert Capa

Por Raphaella Perlingeiro

STEINBECK, John et CAPA, Robert. Um Diário Russo. Rio de Janeiro: Cosac Naify, 2003.

Foto: Cosac Naify Editora
Foto: Cosac Naify Editora

Você gosta de viajar com suas leituras?

Se sim, pense neste livro como opção. Sabe aquela leitura que transcende gostos particulares? Mesmo para quem não gosta muito do assunto “guerra”, esta é uma opção que vale ser considerada. A narrativa é despretenciosa e fala, em última análise, sobre a capacidade humana de se reerguer. Um assunto que todas temos que enfrentar em algum momento da nossa existência. Certo?

Neste “Diário”, os dois autores contam suas impressões ao viajarem por 2 meses pela antiga URSS. O pano de fundo é o cenário de pós-guerra em 1947. Eles mostram personagens cotidianas: operários, fazendeiros, escritores, todos em um processo de reconstrução, não apenas de suas vidas, mas do seu país.

Uma leitura que surpreende pela leveza, mesmo sendo profunda o suficiente para quebrar preconceitos e ideias sedimentadas com relação à realidade daquele momento histórico e naquele país.

Os autores

O escritor americano John Steinbeck foi Nobel de 1962 e escreveu “Vinhas da Ira”, que virou um filme daqueles de doer estrelando o maravilhoso Henry Fonda.


Apresentação (1min13seg) sobre o filme “Vinhas da Ira”. Direção John Ford, inspirado no clássico de John Steinbeck. Tem uma das minhas cenas preferidas. 😉

O húngaro Robert Capa foi um célebre fotojornalista e grande responsável pelo registro fotográfico de grandes eventos bélicos do século XX. Entre eles, a invasão da China pelos japoneses durante a II Guerra Sino-Japonesa e a cobertura durante as guerras de independência da Indochina. O episódio mais importa da sua carreira, contudo, foi certamente ser o único jornalista presente com a primeira leva de soldados no Dia D – Incrível!

Foto: Robert Capa na Life Magazine (Junho de 1944)
Foto: Robert Capa na Life Magazine (Junho de 1944)

Veja mais imagens em: “Slightly out Focus”

Tanto Capa quanto Steinbeck são homens ícones de seu tempo e, através do relato deles, temos a oportunidade de começar a entender o Zeitgeist – espiríto do tempo – do início do século XX.

Boa leitura e boa viagem!