Tá Confuso? Vai de Design

Por Heloisa Righetto

Muito prazer! Eu sou a Heloisa Righetto (pode me chamar de Helô) e agora faço parte do time de colaboradoras do Coletivo Tropical. Eu escrevo um blog pessoal desde 2005 e escrevo também no blog de viagens Aprendiz de Viajante (onde lancei meu primeiro livro, o Guia de Londres para Iniciantes e Iniciados, em 2015).

Aqui no Coletivo eu vou falar sobre design e decoração, temas muito presentes na minha vida profissional e pessoal.

Falar de design para mim não é apenas falar sobre uma cor ou material que está em alta, ou sobre um estilo de decoração específico (Boho chic? Minimalista? Rústico?). Ainda que a aparência seja o fator que salta aos olhos (amo abacaxis e flamingos, me julguem), todo o processo de criação envolvido faz parte do Design, e este pode e deve ser pensado de outras maneiras.

Foto: Helô Righetto
Foto: Helô Righetto

Abraçar o design, para mim, significa entendê-lo como solução, e não como supérfluo.

Mas deixa eu contar um pouco mais sobre como foi a minha história com o Design:

Quando prestei vestibular, em 1997, era senso comum que quem tentava entrar na faculdade de Administração de Empresas não sabia o que queria. Eu quase fui por esse caminho, mas como sabia bem o que não queria – os cursos tradicionais, que já na época me pareciam parados no tempo – decidi ser confusa em um curso mais criativo: Design. Comecei o ano de 1998 achando que ali começava minha carreira como designer gráfica (a única coisa que eu sabia sobre esse curso, que aprenderia a desenvolver logos), mas, lá pelo meio de ano, eu estava mais confusa do que no dia que preenchi o formulário do vestibular.

Decidi então trancar a matrícula no fim do ano e me inscrevi em um curso de decoração part-time, com duração de três anos. No terceiro ano, um dos projetos envolvia a criação de uma linha de mobiliário, e foi então que percebi que precisava voltar pra faculdade de Design, mas dessa vez focada na especialização em Projeto de Produto. E lá fui eu começar de novo, só que dessa vez com a vantagem de ter os três anos do curso de decoração como base.

Passados os quatro anos de faculdade, eu comecei a trabalhar como designer de móveis e, na época, achava que finalmente tinha me encontrado. Era isso! Iria criar belos objetos para o resto da minha vida, e ver minhas criações nas casas das pessoas. Mas com o passar do tempo fui descobrindo que ser designer não é sinônimo de ser criativa 100% do tempo. Ser designer significa também ser pesquisador, saber lidar com fabricantes, atender expectativas de vendas e adaptar seu estilo pessoal ao estilo do cliente, ou seja, tentar imprimir sua assinatura mesmo quando o que é solicitado não te agrada nem um pouco.

O que eu não aprendi na faculdade de Design é que com essa base eu poderia fazer muitas, muitas coisas “além prancheta” (tirando aqui uma licença poética, afinal que graça tem falar “além autocad”?). A minha veia criativa não precisava necessariamente estar focada em criar produtos (gráficos ou tridimensionais), mas sim soluções. Sim, existem muitos criadores talentosos, mas existem também os estudantes de 17 anos perdidos como eu, que enxergaram no design uma alternativa, e que meio sem saber acabaram descobrindo que esse mundo é tão abrangente e cheio de ramificações, que deveria ser a opção de curso para aqueles que se encontram perdidos. A nova Administração de Empresas!

Foto: Helô Righetto
Foto: Helô Righetto

Como hoje já não trabalho mais diretamente com design, meu amor pela área é ainda mais genuíno. Gosto de olhar tendências de uma forma mais leve, sem a abordagem às vezes um pouco engessada do mercado. Pra mim, design e decoração tem a ver com personalidade, com conforto, e, de vez em quando, com impulso. Afinal, quem resiste a uma almofada com estampa de flamingo ou uma vela em formato de abacaxi?

Anúncios

2 comentários em “Tá Confuso? Vai de Design

  1. Uia, como isso fez lembrar quando entrei no curso técnico de Decoração de Interiores, desenho arquitetônico e mobiliário, pois queria cursar na sequência arquitetura. Não me sentia confusa com 14 anos, mas um peixe fora d’água após 4 anos. Bom, da Decoração para o Direito, assim, num pulo! Amei sua história. BjO!

    Curtir

Deixe o seu tempero ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s